Alunos da UFPE vencem prêmio de arte cibernética

Alunos da UFPE vencem prêmio de arte cibernética

Publicado em 29.03.2007, às 16h29
Do JC OnLine
Os alunos Jarbas Jácome e João Paulo Cavalcanti Rolim, do Centro de Informática (Cin) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foram os grandes vencedores do prêmio Rumos Arte Cibernética, projeto do Itaú Cultural que patrocina projetos artísticos. O resultado foi divulgado no último sábado (17) e a premiação deverá ser realizada em abril.
Intitulado ViMus, o projeto do aluno Jarbas, orientado pelo professor Geber Ramalho, consiste em um software livre para a aplicação de performances e produção de obras artísticas audiovisuais e interativas em tempo real. Sua aplicação mais simples se dá no trabalho do Visual Jockey (VJ), aquele artista que exibe imagens enquanto uma banda se apresenta.
Guitarrista da banda Negroove, Jarbas conta como teve a idéia de desenvolver o projeto. “Eu estava pagando as disciplinas de composição musical e computação gráfica e resolvi juntar as duas coisas”, diz. “O programa tem várias funcionalidades para aplicação em tempo real em software de VJs. A idéia principal é possibilitar que uma pessoa sem muitos conhecimentos em informática possa ter acesso a efeitos mais sofisticados em síntese de imagens e intereção entre áudio e vídeo”, conta.
Já o projeto de João Paulo, também orientado por Geber Ramalho, apresentou a ferramenta SpotRadio, que serve para a composição de músicas em tempo real via internet, onde as pessoas podem compartilhar sons e idéias em uma interação musical. “O software pode ser usado por várias pessoas, independentemente do local onde elas estejam. A colaboração pode ser feita tanto em tempo real online como offline, onde não é preciso a conexão com a internet. É um ambiente totalmente compartilhado”, explica João Paulo.
Considerado um dos maiores prêmios da área de arte cibernética, Rumos Arte Cibernética conta conta com jurados renomados internacionalmente. A edição desse ano entregou 15 prêmios para áreas diversas, sendo três para projetos artísticos de até R$ 40 mil, seis para projetos de até R$20 mil, e mais seis de apoio à pesquisa acadêmica, dentre os quais dois foram para os projetos do Cin. Ao todo, foram 57 concorrentes em todo o Brasil.

<– Voltar para Recortes de Imprensa

Primeira Edição, Maceió – AL

JC OnLine, Recife – PE

http://jc3.uol.com.br/2007/03/29/not_135718.php

http://primeiraedicao.com.br/?pag=brasil_mundo&cod=837

Data de publicação: 29/03/2007, às 16h29

Os alunos Jarbas Jácome e João Paulo Cavalcanti Rolim, do Centro de Informática (Cin) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foram os grandes vencedores do prêmio Rumos Arte Cibernética, projeto do Itaú Cultural que patrocina projetos artísticos. O resultado foi divulgado no último sábado (17) e a premiação deverá ser realizada em abril.

Intitulado ViMus, o projeto do aluno Jarbas, orientado pelo professor Geber Ramalho, consiste em um software livre para a aplicação de performances e produção de obras artísticas audiovisuais e interativas em tempo real. Sua aplicação mais simples se dá no trabalho do Visual Jockey (VJ), aquele artista que exibe imagens enquanto uma banda se apresenta.

Guitarrista da banda Negroove, Jarbas conta como teve a idéia de desenvolver o projeto. “Eu estava pagando as disciplinas de composição musical e computação gráfica e resolvi juntar as duas coisas”, diz. “O programa tem várias funcionalidades para aplicação em tempo real em software de VJs. A idéia principal é possibilitar que uma pessoa sem muitos conhecimentos em informática possa ter acesso a efeitos mais sofisticados em síntese de imagens e intereção entre áudio e vídeo”, conta.

Já o projeto de João Paulo, também orientado por Geber Ramalho, apresentou a ferramenta SpotRadio, que serve para a composição de músicas em tempo real via internet, onde as pessoas podem compartilhar sons e idéias em uma interação musical. “O software pode ser usado por várias pessoas, independentemente do local onde elas estejam. A colaboração pode ser feita tanto em tempo real online como offline, onde não é preciso a conexão com a internet. É um ambiente totalmente compartilhado”, explica João Paulo.

Considerado um dos maiores prêmios da área de arte cibernética, Rumos Arte Cibernética conta conta com jurados renomados internacionalmente. A edição desse ano entregou 15 prêmios para áreas diversas, sendo três para projetos artísticos de até R$ 40 mil, seis para projetos de até R$20 mil, e mais seis de apoio à pesquisa acadêmica, dentre os quais dois foram para os projetos do Cin. Ao todo, foram 57 concorrentes em todo o Brasil.

<– Voltar para Recortes de Imprensa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: