Candomblé + Pure Data = Iluminado

maio 5, 2010

O projeto Iluminado de Ricardo Brazileiro e o Ponto de Cultura Alafin Oyo, transforma o tradicional Ilu – tambor largo com uma base em forma de cruz, muito presente nos terreiros pernambucanos – em uma interface de controle do software Pure Data, baseando-se no projeto Silent Percussion, de Jaime Oliver.

Fiquei emocionado com o processo e o resultado desse projeto. A abertura do terreiro de Alafin Oyo para esse tipo de experimentação abre um campo de pesquisa de apropriação das tecnologias digitais num contexto local, passando longe do exotismo e regionalismo apelativo. Pois o processo aconteceu dentro do próprio terreiro junto com três músicos do Alafin que começaram do zero, montando a máquina e instalando o GNU/Linux, orientados por Ricardo Brazileiro.

Acho que o Iluminado ilustra bem o que Miller Puckette fala no artigo publicado em 2002, Max at Seventeen, quando o paradigma Max, que deu origem ao Pure Data e ao Max/MSP, completava 17 anos.

Leia na sessão “External issues“:

Today’s low computer prices promise to make possible more subtle encounters than in the past between, for example, Europeans and inhabitants of their former colonies. Instead of heading out into the forest with a computer to record the local artists (as we of Eurocentric cultures have been doing at least since Bartok’s time) we can now initiate e-mail conversations. People of almost any community on earth can now record their own music without the help of any modern Bartoks. And people almost anywhere can or soon will be able to get hold of a computer and involve it in their music-making.

This will engender an increasingly audible change in the music of the world. No longer will we hear tapes in which westerners invite non-westerners into the recording studio and later manipulate recordings of them playing their instruments. It’s too early to predict what the new music will sound like but it’s clear that the door is now open for non-western practices to have a much more profound imprint on electronic music than as mere source materiel. I expect non-western approaches to electronic music to be a source of much energy in the near future.

Abaixo fotos de “fontes de muita energia” no Brasil, alguns anos depois da publicação do artigo de Miller Puckette. Essas fotos foram tiradas no evento Teia 2010, em Fortaleza.

Projeto Iluminado: http://iluminado.rbrazileiro.info

Alafin Oyo: http://alafinoyo.blogspot.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: